Prefeito de Carapicuíba não cumpre promessas com os servidores

Prefeito de Carapicuíba não cumpre promessas com os servidores

Em quatro anos de governo, nem sequer a inflação do período foi aplicada ao salário do Servidor – apesar do aumento orçamentário de 29%

O Sindicato dos Funcionários Públicos de Carapicuíba (Sindfusmc) apresenta essa semana um ponto importante da gestão atual. Faltam apenas 90 dias para terminar o mandato do prefeito Marcos Neves e a entidade constata que ele não cumpriu seu compromisso em reajustar o salário dos Servidores.

E isso contraria a Lei Orgânica da cidade, que em seu Art. 133 §6º prevê a aplicação do índice da inflação nos vencimentos do funcionalismo.

PROMESSAS NÃO CUMPRIDAS

Porém, Neves, além de não cumprir o determinado em lei, também não cumpre suas próprias promessas de campanha, nas quais disse valorizar o Servidor e implantar melhorias.

Mas é visto o oposto: a inflação acumulada nos últimos quatro anos foi de 17,01%. O reajuste do trabalhador foi de 10%. Em contrapartida, o orçamento teve incremento de 29% no mesmo período. Uma conta que não fecha e não contempla, de nenhuma forma, os municipais.

ALÉM DOS SALÁRIOS, A CESTA ESTÁ DEFASADA

A questão salarial é importante e tanto quanto ela a de benefícios. Há mais de 20 anos o Servidor de Carapicuíba é refém de um único local para realizar suas compras através do “vale-sacolão”. Já por diversas vezes o Sindicato questionou essa medida e a qualidade do que é oferecido. Mas não bastasse isso, a realidade do benefício, aliado ao valor de R$ 130,00 da cesta mensal, está fora da realidade atual em toda a nossa cidade.

Nem precisamos ir longe. Vejam o arroz, por exemplo, com aumentos absurdos nos últimos tempos. Uma pesquisa realizada pela equipe do Sindicato constatou a seguinte situação: a compra de itens da cesta-básica no Supermercado Extra possui itens em valor 30% maior que o benefício do trabalhador. E os valores se mantêm similares em outras redes de compras.

Exigimos opções de qualidade para fazer nossas compras mensais. Por qual razão não se soma o valor gasto neste monopólio junto ao Sacolão na Vila Caldas para a cesta?

O custo que temos de condução para sair de uma ponta da cidade até outra para ir em um ÚNICO local apto para compras, por vezes, pode superar o valor da compra e causar real prejuízo aos Servidores.

Nota oficial sobre o Plano de Saúde: Sindicato cumpre com pagamentos, mas Ameplan nega atendimento ao Servidor

A Ameplan age de maneira arbitrária e desumana com os Servidores. Querem nos fazer engolir um reajuste de 25% em plena pandemia, período em que menos usamos o plano de saúde.

Não aceitamos este desmando e entramos com três ações na Justiça (a mais recente de nº 1005900-56.2020.8.26.0127).

E deixamos claro que em nenhum momento a Ameplan deixou de receber o valor da mensalidade. Como não quiseram negociar, com desculpa da pandemia, realizamos os depósitos em juízo. Ou seja, o dinheiro está lá, os comprovantes foram todos enviados, mas eles se recusam a atender quem tem o direito legítimo ao benefício e está pagando por ele.

O Departamento Jurídico, liderado pela Dra. Roseli Gasparelo, tem dado todo respaldo aos associados neste momento, com esclarecimento de dúvidas e acompanhamento diário do desenrolar da ação.

Jessé Cassundé, presidente do Sindfusmc, comenta: “Não vamos desamparar ninguém. Estamos sendo vítimas de um grupo que está se aproveitando da fragilidade do momento para aplicar um índice impraticável. Como em nenhum momento deixamos de pagar, eles estão errados em suspender o plano e vamos em todas as instâncias jurídicas possíveis para rever este direito do Servidor”.

Por favor deixe seu like ou compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Gostou da nossa página? Compartilhe com seus amigos!